Formação de PH em NR13 - Aulas práticas

Qualificação Profissional

Qualificação Profissional

Qualificação Profissional (16)

Seg, 02 de Abril de 2012 15:10

Inspetor de Ensaio Radiográfico

Por Administrator

O método está baseado na mudança de atenuação da radiação eletromagnética (Raios-X ou Gama), causada pela presença de descontinuidades internas, quando a radiação passar pelo material e deixar sua imagem gravada em um filme, sensor radiográfico ou em um intensificador de imagem.

A radiografia foi o primeiro método de ensaio não destrutivo introduzido na indústria para descobrir e quantificar defeitos internos em materiais. Seu enorme campo de aplicação inclui o ensaio em soldas de chapas para tanques, navios, oleodutos, plataformas offshore; uma vasta aplicação em peças fundidas principalmente para as peças de segurança na indústria automobilística como porta-eixos, carcaças de direção, rodas de alumínio, airbags, assim como blocos de motores e de câmbio; produtos moldados, forjados, materiais compostos, plásticos, componentes para engenharia aeroespacial, etc... são outros exemplos.

O processo de qualificação envolve as seguintes etapas de avaliação:


- Realização de exames teóricos;

- Realização de exames práticos.

Carga horária:120 horas |ABENDI

Carga horária: 80 horas |ASNT TC 1A

Público Alvo:

Profissionais que desejam trabalhar na área de controle da qualidade em ensaios não destrutivos.

que fazOperador de Ensaio Radiográfico?

Execução de radiografias (Raios X | Gama) em soldasfundidosforjadoslaminados, com registroclassificação dos resultados do ensaio de acordo com o critério.

Quem éProfissional de Ensaio Radiográfico?

Profissional que possui conhecimentos teóricospráticos para avaliarinterpretar os resultados dos ensaios radiográficos de juntas soldadas obtidas através de Raiosou Gama de acordo com o critério de aceitação.

Especificações Técnicas

Pré-Requisitos:

É recomendável que o participante tenha alguma experiência na área industrial e formação no ensino médio, porém a comprovação da escolaridade não é um pré-requisito para o candidato participar do curso.

Áreas de atuação profissional:

O profissional poderá atuar em diversas áreas, dentre elas: petrolífera e petroquímica, papel e celulose, fundição, metalúrgica, eletromecânica, naval, automotiva, siderúrgica, etc.

Sistema de qualificação:

O aluno poderá solicitar a qualificação no ASNT TC 1A  pelo BUREAU  AI e/ou SNQC/END – Sistema Nacional de Qualificação e Certificação informe-se pelo site www.abendi.org.br
Neste caso segue as observações abaixo para SNQC/END:

  1. O candidato a nível 2 deve ter curso técnico de ensino médio, conforme relação de títulos profissionais aprovado pela ABENDI
  2. Candidatos certificados como nível 1 podem solicitar exame para nível 2 após cumprir o tempo de experiência com certificação válida mesmo sem possuir o curso técnico. Para acesso direto ao nível 2, este deve possuir o curso técnico.
  3. Conheça mais sobre a certificação, acessando a Norma ABENDI nº 1 - Qualificação e Certificação de Pessoal em Ensaios Não Destrutivos
  4. Candidato a solicitar qualificação pela norma  ASNT TC 1A, deverá entrar em contato pelo site:www.associacaodeinspetores


    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

    • - Introdução aos Ensaios Não Destrutivos
    • - Princípios e Fundamentos
    • - Equipamentos de Raios-X, fontes de radiação;
    • - Aceleradores;
    • - Raios Gama e Raio X;
    • - Equipamentos de Raios Gama;
    • - Registro Radiográfico;
    • - Filmes Radiográficos;
    • - Densidade óptica;
    • - Processamento de Filmes Radiográficos;
    • - Telas Intensificadoras de Imagem;
    • - Radioscopia, Tomografia Industrial, Radiografia Digital;
    • - Parâmetros Radiográficos;
    • - Princípios Geométricos;
    • - Cálculo da Penumbra Geométrica, Sobreposição, Controle da Sensibilidade Radiográfica ( IQI's)
    • - Cálculo do Tempo de Exposição do Filme Radiográfico;
    • - Curvas de Exposição para Gamagrafia, Radiografia;
    • - Relação entre Tempo e Corrente, Corrente e Distância, Tempo e Distância;
    • - Curvas de Exposição para Aceleradores;
    • - Avaliação da Qualidade da Imagem;
    • - Técnicas de Exposição Radiográfica;
    • - Leitura e Interpretação dos Resultados;
    • - Aparência das Descontinuidades, Tipos de Descontinuidades Internas em Juntas Soldadas,  Descontinuidades Internas em Fundidos;
    • - Critérios de Aceitação: juntas de Soldas, Fundidos, Radiografia "Spot", peças Fundidas;
    • - Registros dos resultados.

Faça seu cadastro para mais informações:



Seg, 02 de Abril de 2012 15:08

Inspetor de Termografia Industrial

Por Administrator

A inspeção termográfica (Termografia) é uma técnica não destrutiva que utiliza os raios infravermelhos, para medir temperaturas ou observar padrões diferenciais de distribuição de temperatura, com o objetivo de propiciar informações relativas à condição operacional de um componente, equipamento ou processo. Em qualquer dos sistemas de manutenção considerados, a termografia se apresenta como uma técnica de inspeção extremamente útil, uma vez que permite: realizar medições sem contato físico com a instalação (segurança); verificar equipamentos em pleno funcionamento (sem interferência na produção); e inspecionar grandes superfícies em pouco tempo (alto rendimento).

Os aplicativos desenvolvidos para a posterior análise das informações termográficas obtidas, como a classificação de componentes elétricos defeituosos, avaliação da espessura de revestimentos e o cálculo de trocas térmicas, permitem que esses dados sejam empregados em análises preditivas. 

Aplicações de termografia: Manutenção preditiva dos sistemas elétricos de empresas geradoras, distribuidoras e transmissoras de energia elétrica; Monitoramento de sistemas mecânicos como rolamentos e mancais; Vazamentos de vapor em plantas industriais; Análise de isolamentos térmicos e refratários; Monitoramentos de processos produtivos do vidro e de papel; Acompanhamento de performance de placas e circuitos eletrônicos; Pesquisas científicas de trocas térmicas, entre outras possibilidades.

Na indústria automobilística é utilizada no desenvolvimento e estudo do comportamento de pneumáticos, desembaçador do pára-brisa traseiro, no turbo, nos freios, no sistema de refrigeração, etc. Na siderurgia tem aplicação no levantamento do perfil térmico dos fundidos durante a solidificação, na inspeção de revestimentos refratários dos fornos. A indústria química emprega a termografia para a otimização do processo e no controle dos reatores e torres de refrigeração, a engenharia civil inclui a avaliação do isolamento térmico de edifícios e determina detalhes construtivos das construções como, vazamentos, etc.

O processo de qualificação ASNT TC 1A,  envolve as seguintes etapas de avaliação:


-  Curso preparatório para os exames;

- Análise de documentos;
- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.


Termografia



Inspetor de Termografia Nível I



Carga Horária: 40 Horas (05 Dias).


Requisitos Mínimos: Experiência no mínimo  em manutenção preditiva e industrial


Incluso: Material Didático, Certificado do Curso e Carteirinha de Termografista N1.


Objetivo do curso: aplicar as técnicas pertinente a Inspeção de  termográfica com aulas teóricas e práticas, baseando-se em conceitos teóricos da Termografia, práticas Qualitativa e Quantitativa, elaboração e emissão de relatórios. 


Inspetor de Termografia Nível II



Carga Horária: 40 Horas (05 Dias).


Requisitos Mínimos: Possuir experiência de  Termografista Nível  I


  

Objetivo do curso: Capacitar  profissionais a realizar diversos cálculos de correção de temperatura, Transmissão e Emissão do infravermelho. Aplicar aulas práticas para ensinar os participante a fazerem  coletas de imagens térmicas para serem trabalhadas em  sala de aula, e preparar cada aluno para elaborar seus relatório de Termografia, conforme procedimentos estabelecido por normas e posterior certificação pela prática recomendada ASNT TC 1A .


Público Alvo:

Técnicos, Engenheiros e outros profissionais que desejam obter qualificação  ASNT TC 1A.



Programa Resumido:

MÓDULO I: Processos, fundamentos;

Fundamentos e natureza física da temperatura e da transferência de calor, seleção e operação de equipamentos termográficos, medidas de temperatura e detecção de defeitos com aplicações para sistemas elétricos, mecânicos, fornos, detecção de anomalias e eficiência energética.

MÓDULO II: Normalização , Conceitos - considerações gerais;

Geração de relatórios e utilização de softwares específicos. Evolução nos conceitos avançados da natureza física da temperatura e da transferência de calor, espectro infravermelho. Principais fontes de erro e correção de medições, medições avançadas, estimativa da emissividade e de perfis de temperatura.

MÓDULO III: Avaliações diversas;

Apresentação das normas aplicáveis para a avaliação de equipamentos e sistemas baseados na temperatura absoluta e na elevação de temperatura. Desenvolvendo limites de temperatura para equipamento. Especificação de termovisores. Análise de softwares disponíveis no mercado para processamento de imagens e preparação de relatórios.

MÓDULO IV: Calibração do Sistema- considerações gerais;

Teoria avançada da natureza física da temperatura e da transferência de calor, seleção e operação de equipamentos termográficos, comparação e medição de temperatura com outras tecnologias. Calibração de sistemas termográficos, determinação de emissividade, transmitância e refletância.

MÓDULO VI: Documentações e Normas aplicáveis - considerações gerais;

Análise das principais normas aplicáveis. Elaboração de um programa de inspeção termográfica. Elaboração de relatórios, montagem de banco de dados, utilização de softwares específicos, relatórios de inspeções. Certificação, procedimentos, documentação, normas de segurança.

Mini Currículo | Coordenador

·     Laerte Santos

·     Doutor em Engenharia Elétrica na área de Sistemas Elétricos de Potência pela Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI.

·     Mestre em Engenharia da Energia na área de Eletrônica Aplicada a Sistemas Energéticos pela Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI.

·     Certificado Nível 3 em termografia pela American Society for Nondestructive Testing - ASNT (ASNT NDT Level III Infrared and Thermal).

·     Certificado Nível 3 em termografia pela Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção - ABENDI.

·     Coordenador, desde 2008, da Comissão de Estudos de Termografia ABNT/ONS-58 CE 58:000.11 e membro desde sua criação. Esta Comissão é responsável pela criação das Normas brasileiras de termografia (ABNT/NBR).

·     Membro do Grupo de Trabalho de Termografia da ABENDI, o qual é responsável pela criação da certificação brasileira de termografia.

·     Especialista brasileiro no comitê ISO/TC 135/SC 8/WG 1, International Organization for Standardization - ISO. Membro da American Society for Nondestructive Testing – ASNT


Sistema de qualificação:

O aluno poderá solicitar a qualificação  ASNT TC 1A  pelo BUREAU  AI e/ou SNQC/END – Sistema Nacional de Qualificação e Certificação informe-se pelo site www.abendi.org.br



Faça seu cadastro para mais informações:


Sex, 16 de Março de 2012 14:15

Inspetor de Análise de Vibração

Por Administrator

O ensaio para vibrações mecânicas, em muitas fábricas, é um método indispensável na detecção prematura de anomalias de operação em virtude de problemas, tais como falta de balanceamento das partes rotativas, desalinhamento de juntas e rolamentos, excentricidade, interferência, erosão localizada, abrasão, ressonância, folgas, etc..

Um sensor piezoelétrico é acoplado ao mancal ou chassis da máquina ou componente em questão. Este sensor, através de um aparelho indica a quantidade e direção da vibração detectada. Bom conhecimento teórico e prático do operador, são essenciais ao sucesso do ensaio.

O método tem se provado particularmente útil na monitoração de operação mecânica de máquinas rotativas (ventiladores, compressores, bombas, turbinas, etc.), na detecção e reconhecimento da deterioração de rolamentos, no estudo de mau funcionamento típicos em maquinaria com regime cíclico de trabalho, laminadores, prensas, etc., e na análise de vibrações dos processos de trincamento, notadamente em turbinas e outras máquinas rotativas ou vibratórias.

Este método também permite uma grande confiabilidade na operação de instalações e na interrupção de uma máquina em tempo hábil, para substituição de peças desgastadas.

Na usinagem mecânica com ferramental sofisticado, a medição das vibrações é essencial para a melhoria da qualidade final do produto. 0 método é aplicado na engenharia civil para o estudo do comportamento das estruturas sujeitas a carregamento provocados por um tráfego de alta velocidade.

Ensaio de Análise de Vibrações é um método muito valioso, pois a identificação das falhas no monitoramento de máquinas e motores é feito por medições eletrônicas das vibrações, não percebidas por nossos ouvidos, eliminando assim a subjetividade do técnico.

O processo de qualificação envolve as seguintes etapas de avaliação:


- Análise de documentos;
- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.

Faça seu cadastro para mais informações:


Fonte: http://www.abendi.org.br

Sex, 16 de Março de 2012 14:08

Inspetor de Fabricação

Por Administrator

A inspeção de fabricação é uma das principais técnicas de avaliação da qualidade de materiais e equipamentos e de fundamental importância para Clientes que adquirem equipamentos para novos empreendimentos, expansões ou substituições dos existentes e não possuem equipe própria de inspeção.

As principais atividades realizadas são:

- Estabelecimento de um Plano de Inspeção de comum acordo com o Cliente e o fornecedor;

- Visitas para avaliar o processo de fabricação, de acordo com o Plano pré-estabelecido;

- Exame de todos os documentos necessários ao bom desempenho da inspeção de fabricação como: ordem de compra, procedimentos de inspeção, especificações, normas, procedimentos do fornecedor, desenhos aprovados, modelos de relatórios de controle ou ensaios e outros documentos julgados necessários;

- Verificação das possibilidades de realização de todos os ensaios preconizados pelo Plano de Inspeção, normas e especificações implicitamente aceitas pelo fornecedor, que deverá dispor de todos os aparelhos e instrumentos de medição e testes necessários à execução dos ensaios previstos, os quais deverão ser calibrados periodicamente;

- Auditoria dos procedimentos e pessoal qualificado para a execução dos processos especiais, como soldagens e ensaios não destrutivos;

- Elaboração de relatório de visita completo, descrevendo todos os resultados obtidos, as ocorrências, irregularidades, divergências, ações corretivas e providências tomadas.

A Inspeção de fabricação pelo Sistema Petrobrás é uma atividade desenvolvida pela PETROBRAS, através de seus órgãos de inspeção ou por empresas contratadas, com o objetivo de verificar, nas instalações do fornecedor ou da própria PETROBRAS, a conformidade de serviços e produtos fabricados com os documentos contratuais

Inspetor de fabricação segundo a N-2033: http://www.petrobras.com.br

Faça seu cadastro para mais informações:

Sex, 16 de Março de 2012 14:04

Inspetor de Emissão Acústica

Por Administrator

Sobre o perfil Profissional:

O princípio do método é baseado na detecção de ondas acústicas emitidas por um material em função de uma força ou deformação aplicada nele. Caso este material tenha uma trinca, descontinuidade ou defeito, a sua propagação irá provocar ondas acústicas detectadas pelo sistema.

Os resultados do ensaio por emissão acústica não são convencionais. Na realidade este método não deve ser utilizado para determinar o tipo ou tamanho das descontinuidades em uma estrutura, mas sim, para se registrar a evolução das descontinuidades durante a aplicação de tensões para as quais a estrutura estará sujeita, desde que as cargas sejam suficientes para gerar deformações localizadas, crescimento do defeito, destacamento de escória, fricção, ou outros fenômenos físicos.

Aplicamos a emissão acústica quando queremos analisar ou estudar o comportamento dinâmico de defeitos em peças ou em estruturas metálicas complexas, assim como registrar sua localização. O ensaio por emissão acústica permite a localização da falha, captados por sensores instalados na estrutura ou no equipamento a ser monitorado.


É o caso da monitoração de cilindros contendo gás sob pressão para abastecimento, do teste hidrostático e pneumático em vasos de pressão, teste de fadiga, controle de processos de soldagem, e ainda da caracterização de materiais.

Processo de Qualificação para Inspetor qualificado pelo sistema SNQC/Petrobrás:

O processo de qualificação envolve as seguintes etapas de avaliação:


- Análise de documentos;
- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.


Requisitos para o curso:

Conhecimento teórico ou prático na área industrial; Nível técnico ou Ensino médio completo; Familiaridade com software e hardware.

Objetivos:

Introdução dos fundamentos básicos do fenômeno de emissão acústica; operação de sistema de medição na aquisição de dados; Preparação para as provas teóricas e práticas de certificação.

Público Alvo:

Interessados em atuar internamente na área com inspeção e/ou prestação de serviços, operando sistemas de medição para aquisição de dados de emissão acústica em equipamentos específicos para este fim.

Conteúdo programático:

Estudo básico sobre materiais; Fontes de emissão acústica; Diferentes componentes de um sistema de medição; Instalação da instrumentação em equipamentos a serem ensaiados; Configuração de software para aquisição de dados; Pontos importantes para acompanhamento do ensaio em campo; Ajuste de instrumentação e verificação da integridade da instrumentação.

Metodologia: 

Aulas presenciais com avaliação qualitativa, conceitual elementar e prática. Aquisição de dados durante ensaios em campo.


Faça seu cadastro para mais informações:

Sex, 16 de Março de 2012 14:01

Inspetor de Estanqueidade

Por Administrator

A necessidade de uma perfeita estanqueidade em tanques ou tubulações contendo substâncias tóxicas que façam parte de instalações de alto risco (área química, nuclear, aeroespacial, etc.), proporcionou utilização de novos métodos capazes de detectar possíveis vazamentos de gás ou líquidos, a fim de obter uma efetiva garantia de segurança e proteção ambiental.


Uma das ameaças mais comuns ao meio ambiente, além de provocar acidentes, seja na área industrial, doméstica ou pública, são os vazamentos de produtos perigosos, que quando armazenados em tanques ou recipientes com falhas estruturais, produzem vazamentos de líquidos ou gases inflamáveis (indústria petrolífera), ácidos ou produtos corrosivos (indústria química), no setor de transportes (rodoviário, ferroviário e por tubulações), e tantos outros.

Portanto, como medida preventiva, no sentido de evitar tais ocorrências , o Ensaio de Estanqueidade tem sido largamente empregado em testes de componentes pressurizados ou despressurizados onde existe o risco de escape ou penetração de produtos, comprometendo o sistema de contenção, assumindo desta maneira, uma importância muito grande quando se trata da proteção ao meio ambiente, onde a flora e fauna e ainda pessoas ou populações podem ser atingidas seriamente.

O processo de qualificação para o sistema SNQC/ABENDI, envolve as seguintes etapas de avaliação:


- Análise de documentos;
- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.


Informações pelo site:http://www.abendi.org.br/abendi/default.aspx?mn=751&c=93&s=


Este método é aplicado em larga escala em vários tipos de equipamentos e sua finalidade é detectar descontinuidades passantes, ou seja, que podem gerar um vazamento de líquidos ou gases de um recipiente. A detecção de descontinuidades passantes pode ser feita através de diversas técnicas como: Técnica da bolha, Ultrassom, Variação de pressão, Detecção de gás rastreador. A utilização da técnica depende principalmente do tipo de equipamento que se pretende ensaiar e do tipo de vazamento (taxa de vazamento).


Curso Básico: Estanqueidade LT

Objetivo de curso:

Fornecer aos participantes conhecimentos básicos do metoido de inspeção por análise de Estanqueidade (Leak Testing), principais características, aplicabilidade, vantagens e limitações do método e documentação pertinente ao ensaio (normas, procedimentos e relatórios).

Público-Alvo:

Profissionais que atuam nas áreas de inspeção, fabricação, manutenção/reparo, controle da qualidade, produção ou pretendem adquirir conhecimento para ingressar na área de inspeção..

Pré-requisitos:

Profissionais liberais, Técnicos e/ou Engenheiros (é recomendado que o participante tenha no mínimo o ensino médio).

Área de Atuação profissional:

O profissional poderá atuar no acompanhamento de inspeção nas áreas de manutenção preditiva, áreas de produção, fabricação podem coordenar equipes de trabalho, onde se fizer necessário conhecimentos básicos sobre a condução do método de ensaio e/ou ainda um profissional sem a qualificação, nos segmentos: alimentício, celulose e papel, forjaria, fundição, metalúrgico, naval, siderúrgico, sucroalcooleiro... entre outros.

Programa Resumido:

Atribuições do profissional Inspetor de Estanqueidade, princípios físicos do ensaio, principais métodos aplicado ao ensaio de capilaridade, principais métodos aplicado ao ensaio de  pressão negativa (Caixa de Vácuo) e a  pressão positiva (Método da Bolha), equipamentos principais aplicações do método, vantagens e limitações de cada método, documentação pertinentes (normas, instruções e procedimentos) e atividades  de aulas práticas relacionadas.

Carga Horária16 horas (distribuída entre teoriaprática em corpos de prova).

 

Certificado:

Será fornecido certificado para quem obtiver aproveitamento e frequência iguais ou superiores a 75% nas aulas.

Faça seu cadastro para mais informações:

Sex, 16 de Março de 2012 13:58

Inspetor Correntes Parasitas

Por Administrator


O campo magnético gerado por uma sonda ou bobina alimentada por corrente alternada produz correntes induzidas (correntes parasitas) na peça sendo ensaiada. O fluxo destas correntes depende das características do metal.

Praticamente as "bobinas" de teste tem a forma de canetas ou sensores que passadas por sobre o material detectam trincas ou descontinuidades superficiais, ou ainda, podem ter a forma de circular, oval ou quadrada por onde passa o material. Neste caso detectam-se descontinuidades ou ainda as características físico-químicas da amostra.

A presença de descontinuidades superficiais e sub-superficiais (trincas, dobras ou inclusões), assim como mudanças nas características físico-químicas ou da estrutura do material (composição química, granulação, dureza, profundidade de camada endurecida, tempera, etc.) alteram o fluxo das correntes parasitas, possibilitando a sua detecção.

O ensaio por correntes parasitas se aplica em metais tanto ferromagnéticos como não ferromagnéticos, em produtos siderúrgicos (tubos, barras e arames), em auto-peças (parafusos, eixos, comandos, barras de direção, terminais, discos e panelas de freio), entre outros . O método se aplica também para detectar trincas de fadiga e corrosão em componentes de estruturas aeronáuticas e em tubos instalados em trocadores de calor, caldeiras e similares.

É um método limpo e rápido de ensaios não destrutivos, mas requer tecnologia e prática na realização e interpretação dos resultados. Tem baixo custo operacional e possibilita automatização a altas velocidades de inspeção.

O processo de qualificação envolve as seguintes etapas de avaliação:


- Análise de documentos;
- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.


INSPETOR DE CORRENTE PARASITAS



Ensaios por Correntes Parasitas – Geral - Nível 1 (Operador)

Ensaios por Correntes Parasitas – Geral - Nível 2 (Inspetor)




Carga Horária: 80 Horas


Conteúdo Programático


-  Introdução ao ensaio

-  Separação de peças metálicas misturadas em termos de composição química (ligas);

-  Condição de ensaio em superfície tratadas termicamente etc;

-  Leitura de Procedimentos para o Ensaios por Correntes Parasitas;

-  Calibração de Aparelhos de Ensaios por Correntes Parasitas;

-  Padrão de calibração (diferencial e absoluto), correspondente aos tubos a serem inspecionados;

-  Tipos de sondas de ensaio;

-  Frequência e  suas impedâncias;

-  Detecção de Defeitos em Tubos, chapas, soldas durante processo de fabricação;

-  Detecção de Defeitos em Barras e Arames por Correntes Parasitas;

-  Preenchimento de relatórios padrões;

-  Avaliações dos resultados. 



Sistema de qualificação:

O aluno poderá solicitar a qualificação na norma  ASNT TC 1A pelo BUREAU  AI e/ou SNQC/END – Sistema Nacional de Qualificação e Certificação informe-se pelo site www.abendi.org.br

Neste caso segue as observações abaixo para SNQC/END:

  1. O candidato a nível 2 deve ter curso técnico de ensino médio, conforme relação de títulos profissionais aprovado pela ABENDI
  2. Candidatos certificados como nível 1 podem solicitar exame para nível 2 após cumprir o tempo de experiência com certificação válida mesmo sem possuir o curso técnico. Para acesso direto ao nível 2, este deve possuir o curso técnico.
  3. Conheça mais sobre a certificação, acessando a Norma ABENDI nº 1 - Qualificação e Certificação de Pessoal em Ensaios Não Destrutivos
  4. Candidato a solicitar qualificação pela norma  ASNT TC 1A, deverá entrar em contato pelo site:www.associacaodeinspetores


Pré-Requisitos:

É recomendável que o participante tenha alguma experiência na técnica de correntes parasitas e formação no ensino médio, porém a comprovação da escolaridade não é um pré-requisito para o candidato participar do curso.

Áreas de atuação profissional:

O profissional poderá atuar em diversas áreas, dentre elas: setor petrolífero e petroquímico, papel e celulose, caldeiraria, metalúrgico, eletromecânico, naval, automotivo, fundição, forjaria, siderúrgica, etc.


Faça seu cadastro para mais informações:

Sex, 16 de Março de 2012 13:54

Inspetor de Ensaio Visual de Solda

Por Administrator

A inspeção por meio do Ensaio Visual é uma das mais antigas atividades nos setores industriais, e é o primeiro ensaio não destrutivo aplicado em qualquer tipo de peça ou componente, e está freqüentemente associado a outros ensaios de materiais.

Utilizando uma avançada tecnologia, hoje a inspeção visual é um importante recurso na verificação de alterações dimensionais, padrão de acabamento superficial e na observação de descontinuidades superficiais visuais em materiais e produtos em geral, tais como trincas, corrosão, deformação, alinhamento, cavidades, porosidade, montagem de sistemas mecânicos e muitos outros.

A inspeção de peças ou componentes que não permitem o acesso direto interno para sua verificação (dentro de blocos de motores, turbinas, bombas , tubulações, etc), utilizam-se de fibras óticas conectadas a espelhos ou microcâmeras de TV com alta resolução, alem de sistemas de iluminação, fazendo a imagem aparecer em oculares ou em um monitores de TV. São soluções simples e eficientes, conhecidas como técnica de inspeção visual remota.

Na aviação, o ensaio visual é a principal ferramenta para inspeção de componentes para verificação da sua condição de operação e manutenção.

Não existe nenhum processo industrial em que a inspeção visual não esteja presente. Simplicidade de realização e baixo custo operacional são as características deste método, mas que mesmo assim requer uma técnica apurada, obedece a sólidos requisitos básicos que devem ser conhecidos e corretamente aplicados.

O processo de qualificação envolve as seguintes etapas de avaliação:



- Realização de exames teóricos;
- Realização de exames práticos.


Carga horária: 80 horas


Público-Alvo:

Profissionais que desejam trabalhar na área de controle da qualidade em Ensaios Não Destrutivos (END's).

Quem é o profissional  Inspetor de Ensaio Visual e Dimensional de Soldas?

Profissional qualificado pelo sistema SNQC/END e/ou ASNT TC 1A, que possui conhecimentos teóricospráticos para analisar, identificar e corrigir deformações, e liberar juntas preparadas para soldagem, como também identificar, corrigir descontinuidades em juntas soldadas, conforme procedimentos pré estabelecido e/ou normas específicas.

Pré-Requisitos:

É recomendável queparticipante tenha alguma experiência na área industrial e/ou soldagem com formação técnicaporém, a comprovação da escolaridade não é um pré-requisito paracandidato participar do curso .

Áreas de atuação profissional:

profissional poderá atuar em diversas áreas dentre elas: petrolífera e petroquímica, caldeiraria, papel e celulose, metalúrgica, montagens industriais, eletromecânica, naval, siderúrgica, etc.


Sistema de qualificação:

O aluno poderá solicitar a qualificação no ASNT TC 1A pelo BUREAU  AI e/ou SNQC/END– Sistema Nacional de Qualificação e Certificação informe-se pelo site www.abendi.org.br
Neste caso segue as observações abaixo para SNQC/END:


Observações:

  1. O candidato a nível 2 deve ter curso técnico, conforme relação de títulos profissionais aprovado pela ABENDI.
  2. Candidatos certificados como nível 1 podem solicitar exame para nível 2 após cumprir o tempo de experiência com certificação válida mesmo sem possuir o curso técnico. Para acesso direto ao nível 2, este deve possuir o curso técnico.
  3. Conheça mais sobre a certificação, acessando a Norma ABENDI nº 1 - Qualificação e Certificação de Pessoal emEnsaios Não Destrutivos.

 

 


 

Faça seu cadastro para mais informações:

Sex, 16 de Março de 2012 13:51

Inspetor de Equipamentos

Por Administrator

Inspetor de Equipamentos

Carga Horária: 540 Horas

Inspeção em equipamentos

Objetivo do curso:

Formar profissionais para função de Inspetor de Equipamentos, competentes para fazer avaliação das condições físicas de equipamentos e instalações industriais, de acordo com o especificado na Portaria 537 do INMETRO emitida em Outubro de 2015 que estabelece requisitos para Certificação de SPIE ( Serviço Próprio de Inspeção de Equipamento).

*** Inspeção sem Prova de Qualificação

Atribuições do Inspetor de Equipamentos:

Efetuar, testemunhar e fiscalizar a inspeção de equipamentos em qualquer uma das fases de fabricação, recebimento, construção, montagem ou operação, interpretando e registrando resultados;

Emitir parecer, realizar e acompanhar a implantação de planos de inspeção de equipamentos, contemplando: itens a serem inspecionados, procedimentos de inspeção, frequência e amostragem para inspeção, pontos de retenção, critérios de aceitação e rejeição e taxas de desgaste;

Criar e manter atualizados os registros de inspeção de equipamentos e elaborar relatórios de inspeção de equipamentos;

Realizar e acompanhar a coleta de amostras e corpos de prova de materiais, avaliando o grau de deterioração e avarias em equipamentos para posterior análise;

Certificar-se de que a aparelhagem de inspeção está calibrada ao realizar ou acompanhar ensaios testes, exames, controles, tratamentos e monitorações;

Realizar o controle da qualidade dos trabalhos de manutenção, fabricação construção e montagem, no caso de empresas que tenham esta atribuição sob a responsabilidade da inspeção de equipamentos;

 
Publico alvo:

Profissionais de nível superior e técnico de diversos segmentos, tais como: bélico, caldeiraria, papel & celulose, cimentaria, fundição, metal mecânico, mineração, óleo & gás, petroquímico e siderúrgico, ou onde se faça necessário o uso deste método para avaliação.


Pré-requisitos:

Ensino de Nível Técnico e/ou Engenharia, porém a comprovação da escolaridade não é um pré-requisito para o candidato participar do curso.


Área de atuação profissional:

O profissional poderá atuar em diversas áreas, dentre elas: setor óleo & gás, petroquímico, papel e celulose, metalúrgico, eletromecânico, naval, automotivo, siderúrgico, etc.


Certificado e Qualificação:

Será fornecido certificado para o aluno que obtiver aproveitamento igual ou superior a 70% em cada matéria e frequência igual ou superior a 70% nas aulas. Não existe processo de qualificação para está modalidade. A aprovação no curso e posse do certificado é suficiente para que o profissional esteja apto a exercer a função de inspetor sendo reconhecido como Inspetor de Equipamentos.


Avaliações e Conteúdo Programático:

Durante o curso e no decorrer dos módulos serão aplicadas avaliações aos alunos em forma de prova assertiva. O curso é composto de 05 módulos:

Módulo I: Processamentos Químicos; Segurança Industrial; Qualidade; Proteção Ambiental; Aspectos Legais da Inspeção de Equipamentos; Papel da Inspeção de Equipamentos nas Organizações; Normalização Técnica; Desenho Técnico; Metrologia.

Módulo II: Metalurgia e Materiais Metálicos; Metalografia; Ensaios Mecânicos; Soldagem; Materiais Não Metálicos; Refratários e Isolantes.

Módulo III: Corrosão e Monitoramento da Corrosão; Proteção Catódica, Avaliação de Taxas de Corrosão; Pintura e Revestimentos Não Metálicos; Avaliação de Vida Residual; Revestimentos Metálicos; Tratamento de Água e Inibidores de Corrosão; Causas de Deterioração de Equipamentos.

Módulo IV: Iluminação e Inspeção Visual; Líquido Penetrante; Partículas Magnéticas; Medição de Espessura; Ultra-som; Radiografia; END Não Convencionais; Fotografia; Termografia; identificação de Metais.

Módulo V: Vasos de Pressão; Permutadores de Calor, Tanques de Armazenamento; Tubulações e Dutos, Caldeiras; Fornos; Válvulas de Segurança; Torres de Refrigeração; Inspeção de Fabricação; Relatórios de Inspeção.

Faça seu cadastro para mais informações:

<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>
Página 1 de 2

AVA-Ambiente Virtual de Aprendizagem

Calendário dos Próximos Cursos

Treinamento NR 35 - 08 Hrs | 20/11/2017
Aulas presenciais em Araraquara/SP, Pederneiras/SP, Uberlândia/MG
Treinamento em NR 33 - 20h | 20/11/2017
Aulas presenciais em Araraquara/SP, Pederneiras/SP
Inspetor de Controle Dimensional CD/CL - 160h | 25/11/2017
Aulas presenciais em Araraquara.
Operador de Caldeira - 100h | 08/12/2017
Aulas presenciais em Araraquara/SP, Uberlândia/MG.
Caldeireiro - 180h | 11/12/2017
Aulas presenciais em Araraquara/SP, e Uberlândia/MG.

CFP cursos no Facebook

Cursos Técnicos no País: Saiba Mais!

Fonte: GloboTV, Programa Bom Dia Brasil
Estudo mostra que profissionais técnicos ganham mais que graduados em universidades:


Cadastro de Empresas e Profissionais

Empresas: qualifique seus soldadores!

qualifique seu soldador

O termo "Qualificação" significa que um soldador ou operador de soldagem cumpre com os requisitos de uma determinada norma/procedimento e está qualificado para executar soldas, no âmbito desta norma/procedimento...

Saiba Mais